Defesa de Direitos Humanos com foco principal na criança e adolescente

Após sete anos de investigação, o Ministério Público do Rio Grande do Sul comprovou que bebês estavam sendo vendidos em Farroupilha, na serra. A informação é do jornal Correio do Povo.

A promotora de Justiça Cláudia Formolo Balbinot confirmou a transação de dois recém nascidos por mães usuárias de drogas.

– Casais inférteis negociam com as mulheres, que vendem as crianças para comprar crack.

Nos dois casos em que bebês foram comercializados por valores que variaram de R$ 1.000 a R$ 2.000, a Justiça manteve a guarda com os pais adotivos, devido ao vínculo que as crianças formaram com eles..

Depois de receber outra denúncia anônima, a promotoria começou a investigar, há cinco meses, outras sete mulheres grávidas que moram em três casas de prostituição no bairro Lomba do Sabão, no município. As prostitutas engravidaram no segundo semestre, quando acertaram a venda das crianças para casais da região serrana.

Após comprovar a denúncia, o Ministério Público conseguiu que a Justiça tirasse a guarda das crianças, que foram colocadas em abrigos da cidade. Dos sete bebês, três já estão em processo de adoção.

Cada criança seria negociada a R$ 1.000.

De acordo com o Ministério Público, em um dos casos foi identificada a intermediação de um advogado, contratado pelo casal interessado na adoção irregular.

A Promotoria pretende fazer uma operação nas boates onde foram identificas as mães usuárias de crack.
Por determinação judicial, as mulheres, entre 20 e 30 anos, foram internadas em clínicas de reabilitação.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: