Defesa de Direitos Humanos com foco principal na criança e adolescente

Costa, que participou da criação do ECA, sofreu uma queda em casa, em Belo Horizonte, e bateu a cabeça

Marcelo Portela – O Estado de S.Paulo

Um dos mais renomados pedagogos do País, Antônio Carlos Gomes da Costa morreu ontem aos 61 anos após sofrer uma queda dentro de casa, em Belo Horizonte, e bater a cabeça. Costa era integrante do grupo responsável pela redação do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).
O pedagogo estava acompanhado da mulher, Maria José, e de uma enfermeira, que tentou, sem sucesso, socorrê-lo. O enterro está marcado para hoje, às 9 horas, no Cemitério Parque da Colina, na capital mineira.
Segundo seu irmão, Armando Carlos Gomes da Costa, o pedagogo estava acompanhado de uma enfermeira porque se recuperava de uma depressão e havia colocado parafusos em um dos braços após sofrer uma fratura. “Ele fez exames na semana passada e estava se recuperando bem. Mas sofreu essa queda e, quando a enfermeira foi socorrê-lo, viu que ele já perdido o pulso.”
História. Reconhecido internacionalmente, o pedagogo foi autor de mais de 40 livros e coautor de outra quantidade semelhante de obras. Também publicou centenas de artigos em diversas línguas, sempre voltados para a educação e a defesa dos direitos do público infanto-juvenil.
Natural de Belo Horizonte e filho de militar, Costa chegou a ingressar em Medicina, mas depois optou por Pedagogia, escolha que marcou toda sua vida.
Ele iniciou sua trajetória na área como professor de supletivo e dos ensinos fundamental e médio. Em seguida, dirigiu, por quase sete anos, a Escola Barão de Camargos, da Febem, em Ouro Preto, Minas Gerais, onde trabalhava ao lado da mulher. Costa presidiu a Febem durante o governo Tancredo Neves.
A partir daí, se desdobrou em diversas atividades, sempre na mesma área. Ocupou a Secretaria de Educação de Belo Horizonte, foi oficial de projetos do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e consultor da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco), além de vários órgãos federais, estaduais e municipais em todo o País.
Foi membro do Comitê Internacional dos Direitos da Criança da Organização das Nações Unidas (ONU), na Suíça, e colaborou na criação da Convenção Internacional sobre os Direitos da Criança.
Atualmente, era integrante dos conselhos de diversas fundações e exercia o cargo de diretor da Modus Faciendi, empresa de consultoria em responsabilidade social e educação que criou há mais de dez anos.
Entre seus mais de 200 clientes estão diversos órgãos governamentais, empresas e entidades, entre elas a própria Unicef, o Instituto Latino Americano das Nações Unidas para Prevenção do Delito e Tratamento do Delinquente (Ilanud) e a Fundação Getúlio Vargas (FGV). Também atendeu várias instituições do terceiro setor, como as Fundações Odebrecht, Itaú Social, Bradesco, Telefônica e o Instituto Ayrton Senna.
“Um ícone na causa pela garantia dos direitos de crianças e adolescentes”, resumiu o sociólogo Rudá Ricci, ao saber da morte do pedagogo.

fonte: http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20110305/not_imp688010,0.php

Morre pedagogo Antonio Carlos Gomes
Mineiro esteve em Fortaleza em dezembro último

Foi sepultado, na manhã deste sábado (05), no cemitério Parque da Colina, em Belo Horizonte, o corpo do pedagogo Antonio Carlos Gomes da Costa.
Educador, uma de suas maiores realizações foi a participação no grupo que redigiu o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e sua atuação para aprová-lo no Congresso Nacional.
Antonio Carlos Gomes da Costa faleceu nesta sexta-feira (04), em Minas Gerais, após sofrer uma queda que atingiu sua cabeça.

Profissional de renome

Em dezembro de 2010, o pedagogo esteve em Fortaleza, ministrando palestra no seminário políticas públicas para a criança e o adolescente no Brasil e no Ceará, marcando o encerramento das atividades do Movimento ECA 20 Anos no Estado.
Autor de dezenas de livros e artigos sobre atendimento, promoção e defesa dos direitos da população infanto-juvenil, Antonio Carlos se dedicava à causa desde o início da década de 1980.
Ex-presidente da Febem de Minas Gerais, foi secretário da Educação de Belo Horizonte e membro do Comitê Internacional dos Direitos Humanos (Genebra) e do Instituto Interamericano da Criança (Montevidéu).
Antonio Carlos Gomes da Costa também foi consultor da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco) e oficial de projetos do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).
Em 1998, ganhou o Prêmio Nacional de Direitos Humanos.
Com informações do MPT-CE.

fonte: http://verdesmares.globo.com/v3/canais/noticias.asp?codigo=313193&modulo=125

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: