Defesa de Direitos Humanos com foco principal na criança e adolescente

Posts marcados ‘Cyberativismo’

Pirataria, Internet e Contracultura… finalmente o resultado

Por FiliPêra

image

Após meses a fio escrevendo, dores de cabeça infindas, descidas ao inferno para pesquisar, contato com as Teorias da Comunicação mais loucas possíveis, leituras dos autores mais desparafusados de todos, terminei a minha Monografia. E como o esforço genuíno geralmente é recompensado, fui aprovado com uma nota 10 com louvor, além de receber um convite para me tornar um pesquisador – coisa que sabe Deus se me tornarei, embora tenha lá uma vontade.

Enfim, como muitos devem saber, meu trabalho foi intitulado Compartilhamento e jornalismo – um estudo do Pirate Bay no jornal Estado de São Paulo e no blog Baixacultura e se propôs a ser um estudo tanto do Compartilhamento do ponto de vista histórico, como uma investigação de como as ferramentas digitais alteraram nossa percepção e interação cultural.

Foi a forma que encontrei de utilizar as ferramentas científico-acadêmicas para militar por uma causa que considero primordial, além de pesquisar a fundo um assunto geralmente abordado somente pelo ponto de vista jurídico.

São 217 páginas – 57 delas de anexos -, 67 mil palavras e 425 mil caracteres, de um trabalho que tomou uns 8 meses da minha vida, 4 deles bem intensos – além de ter me mostrado que consigo escrever um livro consistente bem rápido. Agora provavelmente seguirei os conselhos do meu orientador e escreverei um artigo científico de umas 15 páginas sobre minha pesquisa e a inscreverei em conferências de comunicação e ver no que dá, além de começar a pensar no meu Projeto de Mestrado, que já tenho na minha mente – isso continuando na minha ocupação de jornalista cultural.

Enfim, espero que gostem e sirvam para a evolução do vosso conhecimento não só sobre Pirataria/Compartilhamento, mas sobre como são construídas as verdades em nossa sociedade.

Ainda vou curtir um pouco minhas férias e pensar em como voltar a postar no NSN.

Abraços e para lerem/baixarem a Monografia, é só clicar MONOGRAFIA FINAL – Filipe  ou na imagem!

Publicado originalmente no nerdssomosnozes

Anúncios

10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos 5 DIAS Pelos 5 Cubanos

Comitê Internacional pela Liberdade dos 5 Cubanos

10 de dezembro
Levantemos Nossas Vozes em favor deles
5 DIAS Pelos 5

Por proposta dos delegados da América Latina e Europa reunidos no VI Colóquio Internacional pela Liberdade dos 5 Herois e contra o Terrorismo em Holguín, foi proposta a realização de uma ação imediata no dia 10 de dezembro, Día Internacional dos Direitos Humanos.

Nesse día, das 9 da manhã às 5 da tarde, e por 5 dias consecutivamente, chame por telefone, ou envíe um fax ou escreva um e-mail ou despache um telegrama para pedir ao presidente Obama que liberte os 5 Patriotas Cubanos presos nos Estados Unidos por defender a vida.

O significado desta data é que 10 de dezembro de 1948, a Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou a Declaração Universal dos Direitos Humanos decretando esse dia como o Día Internacional dos Direitos Humanos.

Num informe emitido em 13 de outurbo de 2010, a Anistía Internacional pede ao governo dos Estados Unidos que revise o caso e mitigue qualquer injustiça por meio do processo de indulto ou qualquer outro meio apropriado, no caso de que novas apelações legais resultem ineficazes.

O presidente Obama tem provas mais que suficientes de que os 5 Cubanos são inocentes, que jamais significaram uma ameaça para a segurança nacional dos Estados Unidos, que não possuiam armas e que seu único objetivo era monitorar organizações terroristas com sede em Miami para evitar mais mortes de pessoas inocentes.

Nesse Dia Internacional dos Direitos Humanos instamos ao presidente Obama que, fazendo uso das faculdades que lhe confere a Constituição dos Estados Unidos, e como advogado, como pai, como filho, como esposo, como pessoa decente, amante da justiça, como Prêmio Nobel da Paz, PONHA FIM A ESTA COLOSSAL INJUSTIÇA E QUE LIBERTE OS 5 IMEDIATAMENTE !

DIFERENTES FORMAS DE SE COMUNICAR COM A CASA BRANCA

Por telefone: 202-456-1111

Chamando de fora dos EEUU, marque o Código Internacional do respectivo país + 1 (Código dos EEUU) 202.456.1111

Se envíar um fax de fora dos EEUU, marque o Código Internacional do respectivo país + 1 (Código de EEUU) 202-456.2461

Pelo correio eletrônico: HTTP://WWW.WHITEHOUSE.GOV/CONTACT

Para enviar un telegrama
Presidente Barack Obama
The White House
1600 Pennsylvania Ave, NW
Washington, DC 20500
EE.UU.

ESTA AÇÃO COLETIVA SÓ PODERÁ SER EFETIVA SE PESSOAS DOS ESTADOS UNIDOS E DE TODAS AS PARTES DO MUNDO, CHAMAREM POR TELEFONE, OU ENVIEM FAX, CORREIOS ELETRÔNICOS OU TELEGRAMAS, DO DIA 10 A 14 DE DEZEMBRO. SE NINGUÉM RESPONDER AO CHAMADO TELEFÔNICO, DEIXE UMA MENSAGEM.

JUNTOS PODEMOS CONSEGUIR !

Comitê Internacional pela Liberdade dos 5 Cubanos

Para inteirar-se das últimas novidades sobre el caso
www.thecuban5.org

QUEM SÃO OS CINCO CUBANOS ENCARCERADOS NOS ESTADOS UNIDOS?


Cinco jovens profissionais que decidiram dedicar suas vidas, longe de sua pátria, à luta contra o terrorismo na cidade de Miami, centro principal das agressões contra Cuba. 

Antonio Guerrero (Miami, 1958) Engenheiro em Construção de Aeródromos, poeta, dois filhos.

 

 

Fernando González (Havana, 1963), casado, graduado do Instituto de Relações Internacionais (ISRI), do Ministério de Relações Exteriores de Cuba.

 

 

Gerardo Hernández (Havana, 1965), casado, graduado do ISRI, caricaturista. 

 

 

Ramón Labañino (Havana, 1963), casado, três filhas, graduado de Licenciatura em Economia na Universidade de Havana 

René González (Chicago, 1956), casado, duas filhas, piloto e instrutor.

O AI-5 Digital está de volta. Vamos combatê-lo! #AI5digital

A ressurreição

No início do mês de outubro, enquanto boa parcela da sociedade e do Congresso se voltava à campanha eleitoral e aos resultados das eleições estaduais e federal, o Projeto de Lei (PL) 84/99, de autoria do senador Eduardo Azeredo, embora não tenha sido aprovado em qualquer Comissão da Câmara dos Deputados, recebeu parecer favorável em duas delas – a de Segurança Pública e a de Constituição e Justiça.

Com isso, caso o Projeto seja aprovado nessas duas comissões, estará pronto para ir ao plenário e, se deputados federais assim decidirem, ele pode se tornar lei.

O projeto

O Projeto do senador Azeredo, para aqueles que não o conhecem ou dele não se lembram, recebeu a alcunha de “AI-5 Digital” por conta dos malefícios que sua aprovação poderia causar à privacidade, e por tornar crime muitas das práticas cotidianas de todos os internautas – como baixar músicas e filmes ou trocar arquivos.

Caso se torne lei, o PL 94/99 obrigará que provedores de conteúdo (como, por exemplo, os serviços de e-mail e os publicadores de blogs) sejam responsáveis pela guarda dos logs (os registros de navegação) dos usuários. Pior que isso, fará com que haja uma “flexibilização” nas regras para que esses registros sejam obtidos. Isso significa, na prática, que nossos dados poderão ser divulgados à polícia ou ao Ministério Público sem a necessidade de uma ordem judicial.

Além disso, o Projeto dificulta a atividade das lan houses e inviabiliza a existência de redes abertas, pois exige a identificação de cada usuário conectado à internet.

Para saber sobre os demais efeitos do PL, veja esta petição.

Nossa posição/ação

Além de criminalizar ações absolutamente corriqueiras na internet, o PL 94/99 representa um verdadeiro atentado à privacidade. Sem o menor rigor jurídico, corre-se o risco de se ter dados de navegação expressamente violados, muito embora nossa Constituição preveja que a quebra de sigilo só pode ser realizada mediante ordem judicial.

Há pouco mais de um ano, graças à mobilização virtual e presencial de ciberativistas e demais defensores da liberdade internet, com quem estamos em pleno diálogo, conseguimos barrar, na Câmara dos Deputados, a tramitação do AI-5 Digital. Desde então, demos nossa contribuição no sentido de alertar quanto aos malefícios do Projeto.

Neste momento, no entanto, surgem novos desafios. O primeiro deles, sem dúvidas, é trabalhar para barrar, de uma vez por todas, no Congresso Nacional, o AI-5 Digital, de modo que ele não seja aprovado nas Comissões da Câmara. Paralelo a isso, nossa grande alternativa para assegurar concretamente os direitos dos usuários da internet no Brasil é discutir e aprovar o Marco Civil da Internet. Nesse sentido, temos a possibilidade de sacramentar uma legislação pioneira, capaz de compreender a verdadeira dinâmica da internet e de seus usuários.

Feito isso, direcionaremos nossos esforços para caracterizar os chamados crimes digitais – que são, de fato, objetos de grande preocupação da sociedade brasileira. Há um compromisso firmado entre mim e o deputado Júlio Semeghini (PSDB-SP) de apresentar um Projeto de Lei em que tais crimes sejam devidamente tipificados, de modo a deixar claro quais práticas devem ou não ser punidas, e de que forma.

Enfim, diante de um tema tão relevante e caro à sociedade, cabe a nós a missão de assegurar que direitos básicos dos cidadãos não sejam violados em decorrência de um Projeto de Lei que não compreende, ao apontar soluções, a realidade do nosso tempo. Por isso, é hora mobilização. Vamos juntos, mais uma vez, construir um movimento capaz de barrar o AI-5 Digital. Contamos com seu apoio!

OPAS/OMS no Brasil e a cooperação técnica em HIV/aids

A OMS – Organização Mundial de Saúde/ OPAS – Organização Pan Americana de Saúde inalgura o espaço de discussão. Vamos ajudar a divulgar o blog entre as redes da sociedade civil e esperamos que seja mais um espaço para fortalecer a resposta nacional à aids e um espaço de discussão sobre políticas públicas, projetos e outras iniciativas.

Discussão sobre a estratégia mundial do setor saúde contra o HIV/aids para 2011- 2015
  • O Blog inaugura com a discussão do documento da OMS/OPAS denominado “Estratégia mundial do setor saúde contra o HIV/aids para 2011- 2015”. O documento, ainda em elaboração, está sendo lançado mundialmente a um processo consultivo para que profissionais de saúde, gestores, formuladores de políticas, membros das organizações da sociedade civil, pessoas vivendo com HIV/aids, professores, estudantes, pesquisadores e o público em geral possam opinar, enviar sugestões e discutir os grandes temas que devem articular uma resposta vigorosa à epidemia.

O II Fórum da Cultura Digital Brasileira inicia suas atividades no domingo, dia 14/11,

Programação

 

O II Fórum da Cultura Digital Brasileira inicia suas atividades no domingo, dia 14/11, com um show de abertura do Gilberto Gil, Macaco Bong, DJ Tudo e a Banda de Pife Princesa do Agreste, no Auditório do Ibirapuera.

No dia seguinte, a Cinemateca Brasileira recebe as discussões, seminário, oficinas, encontros que acontecerão simultaneamente em seis espaços diferentes. São eles:

-Seminário Internacional da Cultura Digital (Sala BNDES)
-Experiências de Cultura Digital (Sala Petrobras)

-Arena de Debates (Foyer da sala BNDES)
-Deck
-Tenda de Encontro de Redes (tenda no gramado)
-Cultura Digital Mão na Massa (tenda no gramado)
.

Veja abaixo a programação por espaço:

SEMINÁRIO INTERNACIONAL CULTURADIGITAL.BR | Sala BNDES

As muitas vozes que compõem o mundo da cultura contemporânea. Ásia, África, América Latina, Europa e Estados Unidos. Intelectuais, artistas, ativistas, pesquisadores, gestores em debates profundos sobre questões prementes. Qual o papel do autor no contexto digital? O que é bom e ruim? Quem define? E a economia da criação? Quais novas alternativas de arranjos produtivo? Cultura Digital é internet? Ou uma nova ecologia multimidiática? O que veio antes, o que vem depois? Quais as perspectivas desse mundo em mutação?

Dia 15 de novembro – 2ª feira

14h às 16h Cultura Digital oito anos depois, dez anos a frente;
Palestrantes: John Perry Barlow (Eletronic Frontier Foundation) e Gilberto Gil (Músico)
Provocador: Cláudio Prado (Laboratório Brasileiro de Cultura Digital)

(16h – intervalo)

16h30 às 18h30 Os futuros do livro
Palestrantes: Bob Stein (Institute for the Future of The Book) e Heloisa Buarque de Hollanda (UFRJ)
Provocadora: Giselle Beiguelman (Instituto Sérgio Motta/PUC)

(18h30- intervalo)

19h às 21h Perspectivas criativas da Cultura Digital
Palestrantes: Vincent Moon (La Blogotheque) e HD Mabuze (C.E.S.A.R)
Provocador: José Luis Herencia (Secretário de Políticas Culturais/Ministério da Cultura)

Dia 16 de novembro – 3ª feira

14h às 16h Cidadania Digital Global
Palestrantes: Hernani Dimantas (Laboratório de Inclusão Digital), Eddie Ávila (Rising Voices/ Jaqi Aru.org) e Douglas Namale (Voices of Kibera);
Provocador: José Murilo Jr. (Coordenador de Cultura Digital/Ministério da Cultura)

(16h – intervalo)

16h30 às 18h30 Economia Criativa em Contexto Digital
Palestrantes: Eduardo Nassar (CapDigital) e Reinaldo Pamponet (Eletrocooperativa/It´s Noon)
Provocador: Alfredo Manevy (Secretário Executivo/Ministério da Cultura)

(18h30- intervalo)

19 horas Jean Pierre Gorin (O futuro do cinema)
Apresentadora e debatedora: Jane de Almeida (Mackenzie e UCSD)
20h30 – Exibição de M/F Remix, de Gorin

Dia 17 de novembro – 4ª feira

14h às 16h Cultura Digital para além da internet: Remix e Transmídia
Palestrantes: Eduardo Navas (Remix Theory) e Maurício Motta (Os Alquimistas)
Provocador: Newton Cannito (Secretário do Audiovisual/Ministério da Cultura)

(16h – intervalo)

16h30 às 18h30 Laboratórios Experimentais e Cultura Digital
Palestrantes: Marcos Garcia (MediaLab Prado), Tapio Makela (Marin.cc)
Provocador: Felipe Fonseca

(18h30 – intervalo)

19h Perspectivas para a Cultura Digital (Encerramento)
Leitura da carta final do Fórum da Cultura Digital Brasileira
Carlos Magalhães (Cinemateca Brasileira)
Alfredo Manevy (Ministério da Cultura)

21 horas – Coquetel de Encerramento

EXPERIÊNCIAS DE CULTURA DIGITAL | SALA PETROBRÁS

15 de novembro – 2ªfeira

10h às 11h: Experiências de educação e cultura digital
Laboratório Web de Comunicação (UFRJ) (Cristina Monteiro da Luz)
Centro Educacional Pioneiro: Débora Sebriam
SELIGA: Gilson Schwartz , Luiz Otávio de Santi e Marcia Maria de Moura Ribeiro
Grupo de Estudos Educar na Cultura Digital: Vanessa Rodrigues
Projeto Folhas e o Livro Didático: Mary Lane Hutner
Polo de Cultura Digital: Cristiane Costa

11h às 12h30: Apresentações de Pesquisas Acadêmicas

José Fornari : Interatividade Gestual Artistica (IGA)

Exploração do Universo Virtual e das Novas Estratégias Narrativas Abertas pelas Mídias Digitais (Cristiane Costa)

Divulgação cultural da Baixada Fluminense mediada pelas mídias sociais na internet (Marcio Gonçalves)

Permeabilidade em Narrativas Transmídias (Vicente Gosciola)

O projeto Ciberintervenção urbana interativa (ciurbi) (Claudia Loch)

Bauhalien: O Site Experimental (Daniel Graf de Oliveira)

Formas e Imagens na Comunicação Contemporânea (Alfedo Suppia)

Videopoesia: Análise e Produção (Cardes Monção Amâncio)

Redes Sociais e Movimento Feminista: Estudo Exploratório a Partir de Comunidades do Orkut (Ronaldo Ferreira de Araujo)

Jornalismo e cultura digital: um estudo de caso do The Pirate Bay na Folha de S. Paulo (Eliane Fronza)

Cidade do Conhecimento: Moedas Criativas (Gilson Schwartz)

16h30 às 17h30: Experiências de Economia Criativa
Eletrocooperativa/ It’s noon: Reinaldo Pamponet
Futuro em Cena: Eduardo Nassar
Projeto Estrombo: Paula Martini
Toque no Brasil: Caio Tendolini e Silva

17h30 às 18h: Experiências africanas Kubatana.net: Upenyu Makoni-Muchemwa (Zimbábue)
Voice of Kibera: Douglas Namale (Kenya)

18h às 19h: Mesa: digitalização de acervos
Arquivo Público do Estado de SP: Haike Kleber da Silva
IPHAN
Funarte- Brasil Memória das Artes: Ana Claudia Sousa
Moderador: Roberto Taddei

19h às 20h Projetos XPTA.LAB

20h às 21h Mesa sobre Teatralidade digital
Teatro para Alguém: Lucas Pretti
Phila 7
Revista Bacante
moderador: Rodolfo Araújo

16 de novembro – 3ª feira

9h às 10h: Mesa sobre dados abertos

10 às 11h: Experiências de colaboração e interatividade
Mapa das Artes da Cidade Tiradentes: Luis Eduardo Tavares
Webdocumentário “Filhos do Temor”: Marcelo Bauer
Global Conflicts: Checkpoint: Gilson Schwartz
Termografia: Feco Hamburger
Busk.com: Camila Yokoo

11h às 12h30: Apresentações de Pesquisas Acadêmicas

Direito Achado na Rede (Paulo Rená)

Políticas de Autoria: Falhas enquanto Resistência (Ana Silvia Couto de Abreu)

Políticas Culturais sobre Direito Autoral ou Revolução Caraíba Contemporânea (Helena Klang)

Sociedade Informacional: um novo paradigma sócio-cultural (Mauricio N. Santos)

Distúrbios da Era Informacional: conflitos entre a propriedade intelectual e a cultura livre (Luis Eduardo Tavares)

Ferramentas de produção colaborativa na internet aplicadas à produção cultural e Mediação cultural em blogs de cultura urbana (Marcelo Santiago)

Ações Coletivas com Mídias Livres – interpretação de seu programa político (Luiz Carlos Pinto)

ContraCultura Digital (Thais Brito)

Video Livre no Brasil (Andressa Viana)

Colarte Digital: um mapa da arte digital colaborativa (Andre Stangl)

14h30 às 16h: Experiências da Amazônia
Coletivo Puraqué: Marcelo Lobato e Paulo Emmanuel Cunha da Silva
Projeto Saúde e Alegria/ Rede Mocoronga: Paulo Lima
Feira Cultura Digital dos Bairros/ Pontão de cultura digital do Tapajós: Tarcísio Ferreira
Drumbeat Amazônia: Luciano Santabrigida
No2somos (Colombia)

16h às 17h: Experiências de ativismo e rede
Technology for Transparency/ Creative Commons: Renata Avila (Guatemala)
Rising Voices/ Jaqi-Aru.Org: Eddie Avila (Bolívia)
Global Voices: Diego Casaes
Walking Tools: Brett Stalbaum (EUA)

17 de novembro (quarta-feira)

9h às 10h: Experiências argentinas de cultura digital
La Vecinda
FMp3
FM La Tribu
Fabrica de Fallas

10h às 11h: Cinturão Digital do Ceará

11h às 12h30: Apresentações de Pesquisas Acadêmicas

Open Business (Oona Castro)

Combate à Pirataria no Brasil (Olivia Bandeira)

Conhecimento e Controle na Cadeia Produtiva da Indústria Fonográfica em Período Recente (Glauber Eduardo Gonçalves)

Cidade do Conhecimento: Moedas Criativas (Gilson Schwartz)

Redes Sociais Digitais e Sustentabilidade (Massimo de Felice)

Audiosfera: Uma Década Hackeando a Indústria do Disco (Messias Bandeira)

Cultura digital – um desafio para as políticas públicas no Brasil (Taiane Fernandes)

14h às 15h30 Mesa sobre arte digital:
Arte do Cibridismo: Thiago Carrapatoso
Arte. Mov: Lucas Bambozzi
Laboca : Jarbas Jacome
Ressaca.net: Bruno Vianna

15h30 às 16h30 Experiências audiovisuais
Produção Cultural no Brasil: Georgia Nicolau
Mexe Mexe Tupi: Bruna Rafaella Ferrer
Pontão Digital Avenida Brasil/ Casa Curta-SE: Rosangela Rocha e Ricardo Ruiz

16h30  
Núcleo de Cultura Digital para o Estado do Rio de Janeiro: Adriano Belisário
Bailux: Régis
Redes da Cultura Digital – A Experiência da UFSCar: Ricardo Rodrigues
Lixo Eletrônico.Org: Felipe Andueza
Rede Brasil de Bibliotecas Comunitárias: Abraão Antunes da Silva

ARENA DA CULTURA DIGITAL

Diálogo e conflito. Diálogo é conflito. Democracia. Novas tecnologias e visões não tão novas assim. O impacto na regulação, na legislação, na gestão, na política. Processamento lento de uma realidade veloz. O que está por vir? O que queremos construir? O Brasil é pioneiro em olhar para a internet como um território livre. O Estado seguirá sendo instrumento para o aprofundamento dessa condição? Ou o Estado vai criminalizar o movimento? Os movimentos. Articulações em rede, transitórias ou definitivas, horizontais e plurais. Diálogo e Conflito. Democracia Direta.

Esse espaço, com cerca de quarenta lugares, abriga as discussões quentes da conjuntura nacional e global. Nela, irão ocorrer debates propostos por organizações da sociedade civil e do governo. Um anfiteatro grego que irá abrigar apenas o coro dos (des)contentes. Tudo transmitido ao vivo.

Dia 15 de novembro

10h às 13h – Governança da Internet

14h às 17h – Compartilhamento e remuneração do autor em contexto digital

17h30 às 20H30 – Festivais de Música e Cultura Digital

Dia 16 de novembro

10h às 13h – Banda Larga e Cultura Digital

14h às 18h – Marco Civil da Internet e Cibercrimes

18h30 às 21h – Liberdade de Expressão em Contexto Digital

Dia 17 de novembro

13h às 16h – Lan House e Cultura Digital: Como legalizar sem matar

16h às 18h – Televisão e Novas Tecnologias

DECK

15 de novembro

14h às 18h Newscamp

19h Lançamento do livro “Cidadania e Redes Digitais”

REDES DA CULTURA DIGITAL

Uma cultura tecida em redes que se articulam por meio das tecnologias do seu tempo. A cultura contemporânea não gosta de hierarquias rígidas, nem de comando de cima para baixo. Não é top down. É bottom up. Da base para o centro. Da periferia para a periferia. De um para todos os lugares. De todos os lugares para todos os lugares. De todas as pessoas para todas as pessoas. Descentralização. Arquiteturas e protocolos livres. Conversação. Consertação. Encontros que reforcem articulações virtuais. Que as diferentes redes se encontrem, num mesmo lugar.

Essa tenda de circo, com cerca de cem lugares, será ocupada por encontros de diferentes redes que se articulam em torno do CulturaDigital.br. São atividades auto-geridas pelos seus proponentes, abertas ao público que queira conhecer melhor esses grupos.

Dia 15 de novembro

10h às 13h Newscamp (desconferência sobre jornalismo e colaboração)
Alguns nomes confirmados: André Deak (Casa da Cultura Digital), Ceila Santos (Desabafo de Mãe), Antônio Martins (Ciranda da Informação Independente), Sérgio Gomes (Projetos Especiais Oboré)

14h às 18h Redelabs (encontro sobre cultura digital experimental)
Alguns nomes confirmados: Felipe Fonseca (RedeLabs), Marcos Garcia (Medialab-Prado), Tapio Makela (Translocal.net), Ricardo Brazileiro, Lucas Bambozzi

18h30 às 21h Encontro de Acervos e Servidores Livres
Alguns nomes confirmados: Leo Germani (HackLab), Lincoln de Sousa (Minc), Billy Blay Costa (ITeia), Fabianne Balvedi (Estúdio Livre)

Dia 16 de novembro

10h às 13h PCult: encontro do Partido da Cultura
Alguns nomes confirmados: Talles Lopes (Abrafin), Pablo Capilé (Circuito Fora do Eixo), Claudio Prado (Casa da Cultura Digital), Rodrigo Savazoni (Casa da Cultura Digital), Felipe Altenfelder (Massa Coletiva), Georgia Nicolau (Produçãocultural.Org.Br)

14h às 18h Newscamp (Jornalismo Colaborativo: passado, presente e futuro)
Alguns nomes confirmados: Ana Brambilla (Terra), Rafael Sbarai (Veja), Diego Casaes (Global Voices)

18h30 às 21h Educação e Cultura Digital
Alguns nomes confirmados: Jader Gama (Puraqué), Paulo Lima (Saúde e Alegria), Grupo de Estudos Educar na Cultura Digital, Bianca Santanna (REA)

Dia 17 de novembro

9h às 11h – REA Camp

11h às 13h – Rádio Digital

13h às 15h – Circuito Fora do Eixo
Alguns nomes confirmados: Pablo Capilé, Talles Lopes, Daniele Lima, Caio Marques Mota, Leonardo Palma

15h às 18h – Encontro das Casas Associadas

Cultura Digital Mão na Massa

Atividades permanentes

– Transparência Hack Day
– Hackerspace “Garoa Hacker Clube”
– Cobertura Colaborativa
– Install Fest

Oficinas

15 de novembro

10h às 12h Dados Abertos: o maravilhoso mundo do screen-scraping (Pedro Belasco)

12h às 16h Animação 2D com software livre (Paulo Emmanuel Cunha da Silva)

16h às 18h Walking tools (Brett Staulbam)

18h às 22h Mapas Cognitivos- cultura digital (Alissa Gottfried)

18h às 22h Ledslife (Fabio Stasiak)

16 de novembro

10 às 12h Construção de Câmaras Digitais Artesanais com Sucata de Scanners (Guilherme Maranhão)

14h às 16h Atari Punk Console (La Vecinda)

16h às 18h Walking tools (Brett Staulbam)

18h às 21h – App Das Cavernas Remix – Iphones (Homero Basílio)

21h às 24h Navalha: Aprendendo a criar seu próprio software livre de samples com a linguagem Puredata

17 de novembro

10h às 12h FFGinga (Juba)

13h às 18h30 Construção de pedais sonoros (Eric dos Santos Barbosa)

FONTE :  http://culturadigital.br/forum2010/programacao/

 

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: